terça-feira, 20 de janeiro de 2015

MEDITAÇÕES - II




Toda a sombra se dissipa
à luz de um sol excelso,
pois toda a sombra se compõe
de luz não desperta.

Se a sombra que ostentas
mora no peso dos receios sem nome,
encaminha o cego olhar
à luz do sol da tua fé.

(Sem despojo
nenhuma fé será possível, 
sem amor
nenhum despojo será verdadeiro).

Se deveras excelso for esse sol,
ao colocares sob a sua luz
a sombra que te oprime,
vê-la-ás, num ápice,
sucumbir diante dos raios
que de pronto a fulminarão.

Da poeira remanescente
farás a tua estrada.




PBC.




(fonte: palidzusev.lv)



x

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.