segunda-feira, 24 de agosto de 2015

MEDITAÇÕES XXII



Noite estrelada.

Como cintilam
as pequenas centelhas de luz!

Chegam as nuvens.
E as estrelas cessam ao olhar
o brilho que tanto o encantava.

Oculta-se o que sempre cintilou.
Ainda cintilará,
por mais que à densidade
os olhos se habituem?

Passam as nuvens, enfim.
E as estrelas de novo cintilam
sobre o prado que as contempla.

São as nuvens
quem julgas que és.

São as estrelas
quem sempre foste.



PBC.






(Fonte: nationalgeographic.com)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.