quarta-feira, 27 de julho de 2011

Por um trilho que finda

Quando nos encontramos perto do término de um antigo percurso, pacientemente trilhando as suas últimas milhas, é usual recordar cada uma das coloridas partículas de emoções e de situações vividas: as paisagens contempladas, as dores sentidas e os sorrisos partilhados. Por vezes, com uma ânsia total em rapidamente romper com o que já ficou para trás, tendemos a assumir uma postura intranquila (ainda que celeremente nos apercebamos de tal erro) perante as conclusivas ocorrências. Mas todo o caminho existe para ser trilhado até ao fim, até ao momento em que dá lugar a uma nova direcção ou rumo. Assim, um ansioso agir poderá mesmo traduzir-se num indesejado prolongamento do troço final, um adiamento do desfecho tão esperado. Contudo, se uma antagónica posição for adoptada, certamente que manteremos a mente fiel e concentrada nas últimas curvas daquele trilho, para que a derradeira empresa, em esforço final, não se despiste. E isto sem enumerar as várias belezas que proliferam por um trilho que finda, algo que só quem o percorre, aliviado de seu fardo, consegue entender e sentir.

Poderá ser árduo contender para preservar a suavidade de trato e de acção, especialmente quando os encantos da actividade nos seduzem tentadoramente, mas quem – de entre aqueles que se dizem caminhantes – não sentiu já tais obstáculos? O avanço surge a partir da queda que é analisada e compreendida; a complexidade apenas reforça a firmeza de nossos cajados! Desejamos o grande, é claro, mas será apenas por empreender e cultivar o pequeno que ele será alcançado, sempre com a mesma vontade, crença e dignidade, tal como sucedeu em etapas anteriores. Que tal segredo possa se manter em nós, desperto e pronto a ser utilizado no momento mais propício, até que novos ventos comecem a soprar – eis o que desejo a todos os que despontam pela linha da clarividência.


Pedro Belo Clara.



2 comentários:

  1. Eu precisava ler isso aqui!

    Obrigada por escrever, abençoado sejas nesta terra pelo Dom vindo do Alto.

    Parabéns pelas letras.

    Um abraço além mar

    ResponderEliminar
  2. Sandra, essas palavras deixam-me sem jeito... =) eu é que agradeço a visita, a leitura, a amizade e a divulgação... acredito verdadeiramente que cada Homem deve ser um farol para o seu semelhante. fico feliz por tal ter hj acontecido =)

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.